Saiba tudo sobre os seguros de vida!

Se você é uma das pessoas que deseja saber tudo sobre o seguro de vida, então veio ao local certo. No post de hoje, entenderemos mais sobre esse produto financeiro, e a importância que o mesmo está tendo na vida de diversos brasileiros. 

Claramente, aqui no Brasil este não é um produto tão conhecido quanto os demais: de carro, planos de saúde e residenciais. 

Sendo assim, muitas pessoas ainda não entendem que essa aquisição pode ser extremamente fundamental para proteção das pessoas que amam em momentos complexos e delicados da vida. 

Porém, essa questão está mudando, e aos poucos o brasileiro está começando a perceber que realmente se trata de um dos produtos de seguros que são essenciais dentro deste mercado de seguros.

É comum observarmos ano após ano, o drama de diversas famílias que por motivos de enfermidades ou acidentes acabam perdendo seu principal provedor. 

A grande maioria possui poucos recursos acumulados e geralmente nenhum seguro de vida, e acabam tendo que conviver com muitas dificuldades, tanto as mais básicas quanto referentes a manutenção financeira, além de é claro a dor do momento de luto.

É interessante entendermos que um seguro relacionado à vida é tão ou mais importante que o seguro comum de carro. Porém, ainda há dúvidas sobre este tipo de seguro, e abaixo falaremos sobre elas!

Mas o que é um seguro de vida?

Saiba tudo sobre os seguros de vida!
Saiba tudo sobre os seguros de vida!

Sobre o seguro de vida, ele é uma espécie de produto financeiro, capaz de prever o pagamento do capital segurado diretamente aos beneficiários em caso de morte do contratante. 

Porém, precisamos salientar que as coberturas comuns neste tipo de apólice acabam indo bem além, elas podem prever indenização em situação de: 

  • Invalidez: pode ser funcional ou ainda laborativa, parcial ou total por acidentes e/ou doenças;
  • Morte quer seja por acidente ou natural;
  • Diárias de Incapacidade Temporária (DIT);
  • Reposição de despesas médicas odontológicas e hospitalares;
  • Diárias por Internação Hospitalar;
  • Assistência ou Auxílio funeral;
  • Cobertura para doenças graves;

Obviamente este é um seguro que pode perfeitamente ser combinado com amparos complementares de outros produtos, entre eles:

  • Cobertura relacionada a despesas educacionais;
  • Quitação de dívidas;
  • Seguro viagem;
  • Seguro habitacional;

Na realidade, se trata de uma espécie de pacote de proteções que vão muito além da indenização à família! 

Além do mais, atualmente existe ainda o seguro de vida resgatável, ele acaba fazendo parte de um planejamento financeiro garantindo o resgate após certo período de carência, tudo com juros e correções.

E então será que o seguro de vida é dispensável?

O fato sobre o seguro de vida, é que as pessoas passam por dificuldades com o planejamento financeiro e outras possuem superstições em torno do próprio óbito. 

Isso acabou criando uma espécie de ideia bem equivocada de que esse produto não era tão importante, ou ainda pior que pode trazer mau agouro.

Já em países desenvolvidos tal como os Estados Unidos, é válido salientar que o volume de pessoas protegidas por esse tipo de seguro atualmente já chega a 59%.

Nos dias atuais, por ter um acesso ainda maior à informação e havendo o aumento do grau de educação financeira nacional, o que aconteceu é que há uma recente disparada na procura por esse tipo de seguro aqui no Brasil. 

Na verdade, esse tipo de seguro não é bem um investimento, o que precisamos lembrar é que se trata de uma proteção social muito básica e indispensável dentro do núcleo familiar. 

E estamos ressaltando que geralmente este é um produto que vai bem além da cobertura de morte.

Pode-se dizer que o seguro de vida nada mais é do que uma garantia oferecida pelas próprias seguradoras que mediante pagamentos realizados mensalmente oferecem uma indenização mais completa. 

E este tipo de seguro é completamente personalizável, onde a pessoa pode incluir coberturas conforme suas necessidades!

E que diferenciais há em um seguro de vida?

Saiba tudo sobre os seguros de vida!
Saiba tudo sobre os seguros de vida!

Depois de termos a compreensão correta do que é o seguro de vida, agora é o momento de saber quais são seus diferenciais. 

Saiba que uma das vantagens mais conhecidas deste tipo de seguro, é justamente a isenção de Imposto de Renda (IR), sendo que isso acaba sendo algo bem raro principalmente entre os produtos financeiros que acabam sendo oferecidos dentro deste mercado.

Lembrando que um outro benefício é que o artigo 794 do próprio Código Civil acaba esclarecendo que esse produto não é considerado uma herança, sendo assim, acaba não entrando em inventário algum em caso de falecimento do segurado.

Sendo assim, a liberação dos valores acontece muito rapidamente, e lembrando que não há obrigatoriedade alguma do pagamento de Imposto sobre Transmissão Causa Mortis (ITCMD). 

Ademais, conforme a própria SUSEP, esse capital simplesmente precisa e deve ser liberado no prazo máximo de até 30 dias após a apresentação da documentação correta.

Devemos salientar que esse tipo de seguro pode realmente assegurar a continuidade do custeio educacional dos filhos, a quitação de imóveis financiados ou ainda a renda mensal ao segurado em caso de acidente que acaba resultando em invalidez.

Ademais, nesse ponto em questão, é válido salientar que o capital contratado pode ser pago de uma única vez ou ainda na forma de renda, tudo dependerá do que foi previamente acordado em contrato.

E então existe a possibilidade de trocar os beneficiários do seguro de vida?

Na realidade, essa parte do seguro de vida em relação à troca de beneficiários, há uma baixa burocracia que acaba marcando esse produto acaba aparecendo também nesse tipo de situação.

Veja bem, nesse tipo de contrato você pode escolher seus beneficiários seguindo seus próprios critérios, sendo que tal troca ainda pode ser feita da forma e quantas vezes você quiser durante a vigência deste contrato.

Além do mais, vale destacar que conforme o Código Civil, a falta de beneficiários indicados de forma explícita acaba fazendo com que em caso de possível falecimento, o capital segurado seja totalmente direcionado da seguinte forma: 

  • Metade deve ir para o companheiro ou cônjuge não separado judicialmente;
  • Em igual parte vai o restante do valor aos herdeiros, tudo de acordo com o artigo 792 do Código Civil;
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp